terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

O motivo e a razão do Útero Vazio

O objetivo deste blog não é decidir ou sugerir a nenhuma mulher o rumo que ela deve tomar em relação à maternidade. Trata-se apenas de um espaço livre de condicionamentos biológicos, imposições históricas, preconceitos sociais, ou laços maritais ou amorosos; de uma brecha, um refúgio, uma saleta onde mulheres podem refletir acerca da possibilidade de incluírem ou excluírem a maternidade de suas vidas sem sentimentos de obrigação ou culpa oriundos de quem ou do quê quer que seja.

É importante destacar que este espaço não foi criado para mobilizar, recrutar ou manipular mulheres a não terem filhos, mas sim para permitir que esta decisão seja não apenas tomada, mas pensada, e mais do que isso: de fato, desejada, por razões que vão além da sensação de dever a ser cumprido.

Tão importante quanto decidir ser ou não ser mãe, é ser capaz de descobrir quando e porquê fazê-lo, se este for o caminho escolhido.

Tão importante quanto a coragem para reconhecer o desinteresse pela experiência de gerar uma vida é a coragem para reconhecer o interesse em gerar, gestar e parir um bebê.

E mais importante que tudo isso é garantir que a decisão final, qualquer que seja, seja precedida de uma íntima auto-avaliação, de uma visita às profundezas de nós mesmas para que sejamos capazes de identificar, conhecer e respeitar as nossas características, aptidões, inclinações, habilidades, dificuldades e desejos.

Nicole Rodrigues

4 comentários:

  1. Gostei muito da proposta do blog.
    Fique certa de que estarei aqui outras vezes.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá "Desirèe" :)

    Que bom receber a sua visita e saber que pretendes voltar mais vezes. Será um prazer recebê-la. O ùtero está sempre aberto (rs).

    Um beijo

    ResponderExcluir
  3. Nicole, primeiro fiquei surpresa, não imaginava que existia um blog com este tipo de assunto, eu também não sinto vontade de ser mãe, mas reconheço o preconceito, a discriminação, me sinto um ET, mas fazer o quê(risos) Adorei seu blog, só gostaria que escrevesse mais. Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ô Isabel o problema é o tempo! Você não faz idéia de quantas vezes me pego escrevendo para este blog em minha mente entre um trabalho ou uma viagem e outra, mas infelizmente nem sempre consigo anotar tudo a tempo de salvar as reflxões sobre a maternidade que insistem em brotar dentro de mim.

    Eu passo tanto tempo pesquisando sobre livros e filmes sobre o tema para sugerir para vocês (aqui na coluna da esquerda do blog), ou pesquisando e lendo sobre escritoras que morreram com um útero vazio, que só quem visita regularmente este espaço percebe que os meus textos são apenas mais um conteúdo do blog e que toda semana, quando não todos os dias, tem alguma coisa nova nas colunas da direita e da esquerda.

    Ainda assim confesso que muito me fez bem receber o seu comentário, que me fez lembrar que devo fazer com mais frequencia o que me motivou a criar este blog: escrever o que eu penso e sinto sobre a não-maternidade.

    Um beijo grato pela visita e pelo "puxão de orelha" :)

    ResponderExcluir

Postagens populares