domingo, 12 de julho de 2015

Camille Claudel

Hoje descobri mais uma adimirável mulher que não teve filhos e deixou um legado atemporal, apesar da curta linha do tempo em que viveu - neste caso, quase sempre, em isolamento.

Seu nome é Camille Claudel uma escultora francesa que produziu um número gigantesco de obras de arte.



Paixão, beleza, força de vontade inesgotável e talento raro são termos que encontrei com frequência no pouco que li sobre ela até agora.

Mas encontrei um livro...



E dois filmes...





E pretendo mergulhar nos três para descobrir mais sobre a vida desta mulher que passou os últimos 30 anos de sua vida em um hospício, mesmo não sendo louca. Deprimida, sim. Louca, não. Mantê-la enjaulada foi decisão da família para proteger a carreira de seu irmão mais novo, o diplomata e poeta francês Paul Claudel. Se ainda hoje uma mulher com gênio indomável costuma ser vista como alguém que deve ser controlada, imaginemos então o que não foi viver 150 anos atrás. 

Ela sofreu, morreu, e por um certo tempo até chegou a ser esquecida. Mas nas últimas três décadas o interesse por sua arte e por sua vida tem aumentado e o número de obras que a homenageiam tem se multiplicado rapidamente na literatura, no cinema, na música e no teatro.

Encontre algo para ler, ver ou ouvir. E ajude a manter a chama da Camille acesa.


Nicole Rodrigues

2 comentários:

  1. Cacilda, não sabia deste blog. Muito pertinente.

    (Linqei num post meu. Se qiser ver o texto, é esse: http://madamedeau.blogspot.com.br/2015/08/por-qe-nao-qer-filhos.html)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá (desculpe, não sei o seu nome)
      Obrigada pela visita e pelo comentário. Fui lá no seu blog ver mas parece que o post se foi :(

      Volte sempre!

      Excluir

Postagens populares